VAPOR BENJAMIM GUIMARÃES

De carona com tempo, embarco no velho vapor Benjamim Guimarães, a história, tocando a cerdas do coração trazendo a tona lembranças adormecida no fundo de um velho baú chamado saudade, na foto o velho vapor preparando – se para navegar em 2013, na cidade de Pirapora MG, Brasil. na outra foto a seguir no interior do navio o Poeta Carvoeiro e Capitão Manuel Mariano, juntos em passeio em julho de 2013. Dedico este poema ao grande amigo e incentivador Estevam Matiazzi do blog Sabedoria do Amor. Leia o poema a seguir Benjamim Guimarães…

benjamim guimarÃes

Soa o apito, o velho vapor desliza,

Nas águas espumantes,

Levando sonhos à deriva.

No cais uma eufórica

 -Multidão…

A bordo transporta,

-A cor  da emoção..

No comando capitão, Manuel Mariano,

Com sua alma flutuante,

Comanda a tripulação…

O velho vapor  dá sinal de partida,

Navega mansamente,

-Nas corredeiras

O fogo à lenha aquece,

-As caldeiras…

Em terra firme abraços de eternas

-Despedida…

Acomoda – se os passageiros

Bilhetes marcados com destino

-A Juazeiro…

-Nas margens do velho Chico cantam

-As incansáveis lavadeiras…

Segue imponente o velho vapor

Levando consigo mistérios,

-Alegres e tristes…

Leva uma  névoa de sentimentos,

Tal qual o brilha do sol no horizonte.

Todo atracar e largar de um navio,

Leva saudades traz emoções.

Hoje, nesta triste manhã de verão,

Vejo  barcos pequenos,..

E você  sozinho ancorado no porto,

Porto da solidão…

Orlando Nogueira ( O Poeta Carvoeiro)

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s